Palavra

 

 palavras

A palavra me move.

Às vezes em direção à linha do infinito,

aonde derramo meus sonhos coloridos

pelo sol que se põe em raios iridescentes.

Outras vezes, leva-me ao abismo

cujas sombras densas, escuras refletem

minha dor e desengano.

Palavras têm vida, são prenhes de representações.

Há quem encontre doçura ou rudeza em adjetivos,

Vida e morte nos substantivos.

Dúvida e tempo nos advérbios.

Ação e imobilidade nos verbos.

A palavra me move.

A vida se manifesta em meu ser

pela palavra.

Sou palavra em forma humana.

Ah! Palavras ao vento, palavras…

 

Recortes

 

Fresta

 

Pela fresta da porta vejo teu vulto

Se é sonho ou realidade, não sei.

Pela fresta da porta vejo vários vultos

Passam sorrateiros, ofuscados

há uma bruma que desce sobre eles.

Pela fresta da porta vejo imagens borradas

misturadas, indefinidas, cinzentas.

Foram-se as cores, apagaram-se os contornos.

Pela fresta da porta passa minha vida.

Não consigo vê-la, mas posso senti-la.

Há um gosto amargo de saudade do que se foi.

Versinhos Fantásticos

 

 sol lâmpada 14

Estendi o braço pela janela e apaguei o sol.

Tanta luz não combinava com aquela manhã sem graça e estéril.

O cinza caía bem naquele momento.

Havia uma espécie de mão invisível apertando-me o peito.

O ar pesado tornava difícil o simples ato de respirar.

Era preciso promover forte abalo e romper a monotonia

Com clarões de raios e fragor de trovões.

Estendi novamente a mão pela janela e juntei milhares de nimbos.

Forte tempestade abateu-se sobre mim.

A enxurrada lavou-me a alma, carregou tristezas e afogou lamentos.

Saí à porta, acendi novamente o sol.

Lépida e fagueira fui passear sorridente de braços dados com a vida.